sábado, 12 de novembro de 2011

Austro

Mar Azul, Joseph Tuner



Vou desempenhando com recursos
meneando em anseios os rascunhos,
dos quais em isoladas ocasiões
nomeio sensatas relações.

Afloro, em tempo suave a lembrança.
Em sítio povoado na sonata da esperança.
Nos ecos da mais tenra infância...

Depuro no mais azul profundo.
No abissal, entre o intermediário.
Num austro qualquer, além mundo
Temporária vontade, adágio.

Um comentário:

  1. Aflorando em tempo suave a lembrança.

    É essa a sensação que voa por aqui, depois de eu ler esse seu poema.

    Beijo ...

    ResponderExcluir