quinta-feira, 20 de maio de 2010

Tempo

Vanilla Sky, Monet


Era para ser uma poesia, tornou-se um texto, diferente no formato de qualquer contexto, mas ainda sim uma poesia. Dos dias se fez semanas e das semanas se fez meses, anos. Multiplique por sentimentos, divida por angustias, adicione esperanças, subtraia com silêncios.
A sintonia era tanta... Que aconteceu ?
Assuntos diversos, piadas retóricas, seres complexos. Do complexo ficou simples, o silêncio foi ficando cada vez mais gritante e a palavra cada vez mais diminuta.
Fale que o adeus é a própria despedida, e que o nunca se dissipa, porque a espera vira angustia, de uma presença que não está mais ali...
Mas fale imediatamente para que eu saiba, que eu possa me desprender de vez e só assim a tela se preenche novamente retirando este branco profundo como no tempo presente...

2 comentários:

  1. olá... posso garanti que senti poesia brotar em cada linha do teu texto... preenchido de ausência, mas tão rico em beleza... um abraço

    ResponderExcluir
  2. Chorei. snif

    quer mais poesia que isso?
    só uma alma nua...
    por ora, fico com sua poesia!

    =)

    ResponderExcluir